Justiça decreta prisão preventiva de estelionatária que se dizia sargento do Exército

Disse que não teria problema em ser denunciada

Foi convertida em preventiva a prisão em flagrante de Alzira de Jesus Araújo, 40 anos, que passou por audiência de custódia na manhã desta sexta-feira (28). Alzira foi presa acusada de aplicar golpes em várias pessoas, em Campo Grande, oferecendo facilidades para entrar na carreira militar.

A estelionatária foi presa por uma equipe do GOI (Grupo de Operações de Investigações), após denúncias de vítimas que haviam caído no golpe que consistia em obter facilidade em ingressar na carreira militar. Para isso, era preciso fazer o repasse de alguns valores em dinheiro para o pagamento de Guias de Recolhimento da União, que também eram falsas.

Ainda não é possível ter o valor total de prejuízo causado por Alzira, com os golpes e nem o número de vítimas, mas conforme o apurado, ela cobrava entre R$ 15 e R$ 30 mil de cada pessoa. Até agora cinco delas foram identificadas e compareceram à delegacia.

Em depoimento, Alzira se limitou a falar que trabalhava, na realidade, como motorista de aplicativo e tinha salário mensal de R$ 2 mil. Ela usava a conta da própria filha para receber o dinheiro dos golpes que aplicava.

Prints apreendidos de conversas entre uma das vítimas que fez depósitos durante um ano para a conta de Alzira, totalizando o valor de R$ 7.400, revela que ela já imaginava que seria denunciada. Em uma das conversas ela diz par a vítima que não tem problema em ser denunciada, pois ia responder na justiça e quem denunciou ia ter que pagar do mesmo jeito, se referindo ao valor que ela cobrava.

Mais notícias