Juíza determina internação de acusado de homicídio em hospital psiquiátrico

Odair Soares de Oliveira, acusado de matar Sidnei Tupan Delgado, de 45 anos, conhecido como “Alemão” em Nova Andradina em 2018, irá permanecer internado em um hospital psiquiátrico. A decisão é da juíza Cristiane Aparecida Biberg de Oliveira, que presidiu o júri popular, na manhã desta terça-feira (11).

A sentença aconteceu no Fórum da Comarca de Nova Andradina. Odair, preso em Dourados, não foi levado para participar da sessão. Segundo a juíza, caso fosse necessário ouví-lo, o procedimento seria feito por meio de videoconferência.

De acordo com o site Nova News, Odair é de fato o autor do homicídio, porém, trata-se de um réu inimputável, devido a problemas mentais, e, por isso, é considerado isento de pena.

Será aplicada medida de segurança, onde ele permanecerá em estabelecimento prisional, mantido na ala psiquiátrica, pelo período de um ano. Após o período estabelecido, o autor do homicídio deverá passar por perícia médica, que determinará se não há mais periculosidade.

O crime

Na noite, do dia 11 de abril do ano passado, “Alemão” foi encontrado caído em via pública, todo ensanguentado, com várias perfurações provocadas por arma branca.

O Corpo de Bombeiros socorreu e encaminhou Sidnei Tupan Delgado para o Hospital Regional Francisco Dantas Maniçoba, onde ele deu entrada com vida, mas não resistiu e morreu logo depois

A prisão

Uma equipe da Polícia Militar foi acionada e realizou rondas pela cidade, vindo a localizar um homem identificado como Odair Soares de Oliveira em atitude suspeita.

Em poder dele, os policiais encontraram uma faca suja de sangue, o que reforçou a tese de que ele seria o autor do crime.

Diante dos fatos, ele foi preso e encaminhado para a 1ª Delegacia de Polícia de Nova Andradina, onde, segundo a delegada Daniela de Oliveira Nunes, Odair confessou o crime, momento em que a autoridade policial representou pela sua prisão preventiva.

Odair Soares de Oliveira já foi julgado anteriormente por outro crime. Na ocasião, ele foi condenado a mais de oito anos de prisão por tentar matar, em 2013, sua companheira e o neto dela, uma criança que na época tinha apenas dois anos de idade.

Mais notícias