Suposto jornalista é preso por extorquir prefeito com fotos de travestis que não existiam

'Dener' é dono de um site e foi preso em flagrante junto com o motorista

Foram presos em flagrante nesta segunda-feira (24) pela Derf (Delegacia Especializada em Roubos e Furtos) Danyhaun Dutra Rosário, de 32 anos, conhecido como Dener, e Anderson Franco, de 24 anos, quando tentavam extorquir o prefeito de Tacuru, Carlos Alberto Pelegrine (MDB). Dener se apresentava como jornalista, e Anderson seria o motorista de um site dele.

Segundo o delegado Reginaldo Salomão, da Derf, os dois foram presos em Campo Grande quando estavam extorquindo o prefeito sobre o caso de um roubo que ele havia sofrido em Dourados, em dezembro de 2018 por travestis após suposto programa contratado pelo político.

Ainda segundo informações da polícia, o suposto jornalista ameaçava divulgar ‘matérias bombásticas’ para os inimigos políticos do prefeito, e para que isso não fosse revelado chegaram a cobrar do prefeito o valor de R$ 50 mil, mas baixaram o valor para R$ 10 mil.

Picaretagem

Desde 2009, caiu a obrigatoriedade de formação superior para exercer a atividade de jornalista. No entanto, as práticas antiéticas e ilegais associadas à atividade jornalistica, conhecidas como ‘picaretagem’, devem sempre ser comunicadas às autoridades policiais.

O crime de extorsão tem pena de 4 a 10  anos de reclusão e está previsto no artigo 158 do código penal.

Na delegacia a dupla confessou não ter informações que pudessem prejudicar o prefeito Carlos Alberto. Um celular foi apreendido e nada foi encontrado. Eles confessaram ao delegado que não tinham informações e que tudo não passou de chantagem para obtenção de vantagens políticas.

Mais notícias