Policial é afastado depois de apontar arma para cabeça de defensor

Caso aconteceu durante audiência de pensão alimentícia

Um investigador de Polícia Civil, de 58 anos, foi preso e afastado do cargo, após apontar um revólver para a cabeça de um defensor público, durante audiência de pensão alimentícia no Fórum da cidade de Bela Vista, distante 324 km de Campo Grande. As identidades dos envolvidos não serão divulgadas.

O afastamento compulsório do investigador foi publicado nesta terça-feira (2) no DOE-MS (Diário Oficial de Mato Grosso do Sul), até finalização do inquérito policial. No DOE-MS, a exigência é também para o recolhimento da arma e distintivo do policial.

Conforme as informações apuradas pelo Jornal Midiamax, durante a audiência, no dia 26 de março, o policial não teria concordado com o acordo exposto no momento. Ele se exaltou e sacou um revólver calibre 38 e, em seguida, conforme relatado em ocorrência, teria ameaçado o defensor de morte e engatilhado a arma.

Um policial militar que presta serviço no Fórum entrou na frente do investigador e também de posse de um revólver, ordenou que ele abaixasse a arma. Neste momento, as pessoas que estavam acompanhando e participando da audiência, saíram da sala.

O caso foi registrado como tentativa de homicídio e o homem teve a prisão decretada pela Justiça. No entanto, a defesa tenta recorrer entendendo que o caso não pode ser classificado como tentativa de homicídio.

O MPE-MS (Ministério Público de Mato Grosso do Sul) informou, em nota, que ainda não há denúncia formal sobre o caso. “Sobre o caso mencionado ainda não há nenhuma denúncia formal apresentada ao Ministério Público Estadual. Há no entanto, investigações iniciais que estão em segredo de justiça”.

Mais notícias