Incêndio em área protegida mata tatu e rende multa de R$ 320 mil a fazendeiro

Mais de 120 hectares atingidos

Um fazendeiro de 65 anos, foi multado em R$ 323 mil por crimes ambientais em uma fazenda no município de Aral Moreira, a 402 quilômetros de Campo Grande. Entre os crimes, está a queimada de área protegida onde um tatu foi encontrado morto.

Uma equipe da PMA (Polícia Militar Ambiental) de Amambaí realizou as fiscalizações nas propriedades da região nesta segunda-feira (9), e autuaram o proprietário que seria residente do município de Toledo, no Paraná.

De acordo com as informações, o incêndio que culminou na morte do animal silvestre, teria começado pela pastagem, percorrendo 87,7 hectares e adentrou em 34,11 hectares de reserva legal, que é protegida por lei, atingindo ainda quatro fazendas vizinhas.

No local onde começou o fogo foi constatado ainda que houve o desmatamento de 4,85 hectares de reserva legal. As áreas danificadas somaram o total de 126,6 hectares, segundo a medição feita pelos policiais.

O fazendeiro foi autuado administrativamente e multado pelos crimes de desmatamento em área de reserva legal, multa de R$ 24,5 mil, incêndio em área protegida por lei, R$ 170.550. Pelo incêndio em área agropastoril a multa foi de R$ 87,7 miç e pelos danos em área de preservação permanente a multa foi de R$ 40,5 mil, totalizando os R$ 323 mil.

Ele ainda responderá por crime ambiental com pena de dois a quatro anos de prisão.

Mais notícias