PCC entrou na guerra pelo tráfico em presídios paraguaios há 2 anos

Na penitenciária estão 85 presos do PCC e 115 do Clã Rotela

A guerra entre a facção criminosa PCC (Primeiro Comando da Capital) e o Clã Rotela começou há dois anos nas penitenciárias paraguaias elo controle do narcotráfico dentro dos presídios do país. Nesta segunda-feira (25) o início de um motim foi contido pela equipe da Polícia Nacional e policiais da força antimotim.

O confronto entre integrantes do PCC e do Clã Rotela aconteceu dentro da Penitenciária Regional de Pedro Juan Caballero, que faz fronteira com a cidade sul-mato-grossense de Ponta Porã, a 346 quilômetros de Campo Grande, nesta segunda-feira (25). Estão na penitenciária 85 detentos da facção e 115 do Clã. Ever Ruben Alonso Lugo foi ferido por facadas. Ele foi levado ao Hospital Regional da cidade para receber atendimento médico.

Segundo o relatado ao site ABC Color pelo Ministério da Justiça a um trabalho em conjunto com o Ministério do Interior, a Polícia Nacional e as Forças Armadas para manter a calma e conter possíveis rebeliões realizando operações rápidas.

O Clã Rotela é comandado por Armando Javier Rotela, que está preso em Tacumbú. Em junho, um motim acabou com 10 presos decapitados e carbonizados. A guerra aconteceu entre PCC e o clã.

Mais notícias