Guarda civil é demitido 6 meses após ser preso por atirar em frente a conveniência

Decisão foi publicada no Diário Oficial de Campo Grande

Na sexta-feira (16), foi publicado no Diário Oficial de Campo Grande a demissão do guarda municipal Oscar Martimiano Gomes, preso em 16 de fevereiro deste ano após atirar para cima na frente de uma conveniência. Ele foi detido em flagrante em uma casa de festas no Bairro Oliveira momentos depois.

Conforme o decreto, foi aplicada pena de demissão ao servidor que ocupava cargo de guarda municipal terceira classe. A pena foi definida mediante violação ao artigo 39, incisos IX e XIV, da Lei n. 4.520, de 19 de setembro de 2007, que são “cuidar da postura e prestar as informações solicitadas pelos usuários dos serviços, adotando o tratamento respeitoso e abster-se de exercer sua autoridade com finalidade estranha ao interesse do serviço, não cometendo violação das leis, dos regulamentos e dos bons costumes”.

Prisão

No dia do crime, o Batalhão de Choque foi acionado para ir até a conveniência no Bairro União onde o guarda tinha feito os disparos. Testemunhas informaram que após os tiros o guarda fugiu em uma camionete e aparentava estar embriagado.

Os militares fizeram buscas e encontraram o veículo estacionado na frente de uma casa de festas no Bairro Oliveira. O guarda se apresentou como proprietário da camionete e confessou ter feito os disparos de arma de fogo. O revólver estava escondido no estabelecimento e foi apreendido.

O guarda foi preso em flagrante por disparo em via pública e posse irregular de arma de fogo e foi levado para a Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) Piratininga.

Mais notícias