Foto nua para passar de ano: novas vítimas não denunciam e polícia não investiga professor

Denúncia ainda não foi feita para a polícia

Alunas de uma escola estadual de Campo Grande, que denunciaram nas redes sociais assédio sexual cometido por um professor, ainda não registraram denúncia na delegacia de Polícia Civil e o caso segue sem ser investigado. Segundo o relato nas redes sociais na última sexta-feira (1º), o professor chegou a pedir foto nua para poder aprovar duas alunas na disciplina que leciona.

A reportagem do Jornal Midiamax entrou em contato com a Depca (Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente), que investiga abusos e crimes contra menores de idade. Segundo a delegada titular, Marília de Brito, até o momento nenhum registro do caso foi feito na delegacia.

Na manhã da última sexta-feira (1), diversos estudantes da escola organizaram um protesto contra a direção. Eles denunciam descaso com os alunos, já que, além da denúncia de assédio sexual, relatam suicídio de um colega por causa de bullying, agressão por parte de um professor e também citam o caso da mãe de uma estudante, que agrediu fisicamente uma aluna da escola.

Denúncia de assédio em 2017

O mesmo professor que foi denunciado pelas alunas por assédio sexual já havia respondido a um procedimento administrativo em 2017 pelo mesmo crime. Ele teria pedido fotos nuas de alunas para passar as estudantes de ano.

Segundo informações da SED (Secretaria Estadual de Educação), em 2017 foi feita a denúncia junto a secretaria pelo crime de assédio e um boletim de ocorrência registrado na delegacia, mas por falta de provas o procedimento administrativo teve de ser arquivado, assim como, o caso investigado pela polícia.

Ainda segundo a secretaria de 2017 até agora nenhuma outra denúncia foi formalizada pelas estudantes sobre os assédios sofridos por elas. Uma das estudantes postou nas redes sociais, que o professor havia pedido a ela e a uma amiga fotos nuas para que ele passasse as alunas de ano, como elas não enviaram as fotos foram reprovadas. Ela ainda diz na postagem que a direção da escola se recusou a mostrar as provas.

Mais notícias