Ex que matou Yara com tiro na cabeça na frente do filho pega 27 anos de prisão

Filho de Yara tentou correr atrás de Edson no dia do crime, mas não conseguiu alcança-lo

Foi condenado a 27 anos de prisão nesta terça-feira (26), em Dourados a 225 quilômetros de Campo Grande, Edson Aparecido Oliveira Rosa, acusado de matar a tiros a ex-mulher Yara Macedo dos Santos, 30 anos no dia 25 de junho de 2018. Ela foi assassinada na frente do filho de 14 anos.

Além da condenação de 27 anos de prisão em regime fechado pelo crime de feminicídio, Edson também deverá pagar uma indenização de ao filho de Yara, no valor de R$ 99.800, segundo o site Dourados News. Antes de ir a julgamento, a defesa teria pedido exame de sanidade mental argumentando que Edson havia sido motivado pelo sentimento de ‘forte paixão’, o que foi negado pelo juiz.

Yara foi assassinada com um tiro na cabeça no dia 25 de junho do ano passado, na frente dom filho de 14 anos. Ela teria se negado no dia do crime a mostrar o celular para Edson, que estava armado. Após o assassinato Edson pediu ajuda da família para fugir, sendo que três pessoas acabaram presas por favorecimento ao rapaz. Um dos presos pagou fiança e foi liberado.

Edson foi preso em Sidrolândia no dia seguinte, no momento em que iria embarcar de em um ônibus para Campo Grande. Ele tem várias passagens pela polícia, inclusive por violência doméstica e por ameaçar a ex-mulher, que tinha uma medida protetiva contra ele.

Mais notícias