Empresário pode ter sido esquartejado por denunciar carregamento de cocaína

Ele foi sequestrado e esquartejado na fronteira de MS

A morte de Adolfo Gonçalves Camargo, de 31 anos, pode ter ligação com uma denúncia feita por ele à polícia que levou à apreensão de 51 quilo de cocaína. O empresário foi sequestrado na tarde de sexta-feira (16) e o corpo encontrado esquartejado horas depois.

Polícia paraguaia acredita nesta linha de investigação, que Adolfo teria feito a denúncia que levou à apreensão de 51,6 quilos de cocaína em um Citroën C3 que era ocupado por Ronny Von Goncalves Silva. O caso aconteceu na última quarta-feira (14) e a morte do empresário poderia ser um acerto de contas, conforme informou o site ABC Color.

Sequestro e execução

Segundo detalhes do boletim de ocorrência, a irmã de Adolfo procurou a polícia para informar sobre o sequestro e contou que ele estava dentro de casa quando uma camionete S10 branca, com placas do Paraguai, parou na frente. Quatro homens armados com fuzis estavam no veículo.

Dois dos suspeitos desceram, entraram na casa e sequestraram Adolfo. A suspeita era de que ele tinha sido confundido com outra pessoa, já que a casa é frequentada por um familiar conhecido como ‘Magrinho’ que já foi preso por tráfico de drogas.

Já por volta das 19h30 populares acionaram a polícia após encontrarem os sacos de lixo em uma estrada vicinal de Sanga Puitã. A irmã de Adolfo fez reconhecimento do homem, que foi esquartejado e decapitado, segundo a polícia.

Corpo da vítima foi colocado em sacos de lixo (Foto: Porã News)

O caso é investigado como sequestro e cárcere privado e homicídio qualificado pela traição, de emboscada ou mediante dissimulação ou outro recurso que dificulte ou torne impossível a defesa do ofendido.

Mais notícias