Peão é morto por colega após apontar arma para mulher com filha no colo

Suspeito de cometer o crime tentava defender a mulher

Lyohans Benevides Chaparro, de 30 anos, foi assassinado na fazenda em que trabalhava em Corumbá, cidade distante 444 quilômetros da Capital. O crime que aconteceu no dia 30 de junho é investigado pela Polícia Civil, que esteve na propriedade na segunda-feira (1º).

Conforme as informações do boletim de ocorrência, antes de ser assassinado Lyohans teria agredido a esposa, de 25 anos. Eles bebiam, quando ele a pegou pelo braço, a empurrou e em seguida pegou a filha do colo da mulher e foi para casa. Os dois moravam na propriedade rural em que Lyohans era capataz.

Um colega de serviço de Lyohans teria conversado com a mulher e a aconselhado a esperar que o capataz ficasse calmo para conversarem. Momentos depois ela ouviu um barulho de tiro, quando foi até a casa onde o marido estava com a filha e a tomou dos braços dele.

Lyohans tinha uma arma de fogo em mãos e, conforme relato da mulher, ele engatilhou e apontou para a cabeça dela, ameaçando atirar. Segundo o site Diário Corumbaense, o colega percebeu a ameaça, sacou um revólver e atirou em Lyohans, na tentativa de defender a mulher e a criança.

O capataz acabou morrendo no local e o proprietário da fazenda acionou a polícia. O caso é tratado como homicídio simples, mas as circunstâncias continuam em investigação. Não foi informado se o autor do disparo foi preso.

Mais notícias