Avós que deixavam neta ser estuprada serão investigados por favorecer exploração sexual

Conforme investigação, avós permitiam abusos

Os avós da menina de 13 anos, que era abusada sexualmente por um homem de 53 anos de idade, serão investigados pelo crime de favorecimento à exploração sexual infantil. Eles são suspeitos de permitirem os abusos praticados, em troca de quantias em dinheiro. O caso foi registrado na cidade de Naviraí, a 359 quilômetros de Campo Grande.

De acordo com as informações da polícia, o suspeito de 53 anos seria amigo dos avós da menina e foi preso em flagrante nesta quinta-feira (21). O homem frequentava a casa e inclusive pedia a menina constantemente em casamento.

A Polícia Civil divulgou que a menina passou por exame de corpo delito, que confirmou o abuso.

O caso

O Conselho Tutelar recebeu denúncia anônima de que uma estudante estava sendo vítima de estupro. A testemunha informou ter visto a menina dentro da picape do autor, ocasião em que ele tentava beijá-la e ela se debatia. Diante dos fatos, o caso foi repassado à DAM (Delegacia de Atendimento à Mulher).

A Polícia Civil identificou a vítima e colheu depoimento dela. A menina afirmou que a avó havia lhe apresentado ao autor dizendo que teria que se casar com ele. Desde julho, ela vinha sendo abusada na própria residência, com consentimento da avó, que em troca recebia alimentos e pequenas quantias em dinheiro. A idosa, inclusive, disse que a garota teria que se casar no sábado (23), querendo ou não.

A menina informou que não aceitava a proposta e que sempre relutava quando o homem a beijava e a tocava. Em um dos abusos, ela chegou a morder a boca do autor. Diante dos relatos, os policiais foram ao local de trabalho do homem e o prenderam.

Mais notícias