Após várias tentativas, Jamil Name tem prisão por porte de arma revogada

Mesmo cm decisão favorável, o empresário continuará preso na penitenciária federal de Mossoró por outros crimes

Após várias tentativas de revogação da prisão preventiva feita pela defesa do empresário , a Justiça revogou a prisão pelo crime de porte ilegal de arma de fogo. Mas, Name que está preso desde o dia 27 de setembro depois da deflagração da continuará ocupando uma cela da penitenciária federal de Mossoró, no Rio Grande do Norte.

Ainda um outo pedido será julgado, e nesse caso é para averiguar se o Presídio Federal de Mossoró tem condições de fornecer tratamento pedido pelos médicos a . Só após esta análise é quem voltará a ser apreciado o pedido de prisão domiciliar do empresário.

está preso desde o dia 27 de setembro quando da deflagração da , que o aponta como chefe de uma milícia de execuções no Estado, especialmente em Campo Grande.

No dia 30 de outubro, foi transferido para Mossoró. O empresário deixou a Capital por volta das 2 horas da madrugada, em um voo que seguiria para Campinas e de lá para o Rio Grande do Norte.

No dia 25 deste mês, a juíza May Melke Amaral Penteado Siravegna, da 4ª Vara Criminal de Campo Grande, negou pedido de prisão domiciliar a , sendo está a quinta tentativa da defesa para que o empresário deixe o presídio que é negada.

O pedido foi feito em 17 de outubro pela defesa do réu, alegando novamente idade avançada de e também problemas de saúde. Foram anexados ao processo laudos médicos na tentativa de comprovar um estado de saúde fragilizado.

Após várias tentativas, Jamil Name tem prisão por porte de arma revogada
Mais notícias