Após carta anônima, polícia desarticula esquema de tráfico na fronteira

Operação Hidra foi realizada a partir de uma carta anônima

Ação conjunta entre a Polícia Civil e a Polícia Federal de Guaíra (PR) desarticulou nesta quinta-feira (12) esquema de tráfico de drogas que operava em Iguatemi, município localizado a 466 quilômetros de Campo Grande, na divisa com o Paraná e na fronteira com o Paraguai. 

A ação, batizada de Operação Hidra, foi realizada a partir de uma carta anônima enviada à polícia, meio pelo qual testemunhas denunciaram a ação de vários traficantes na região. Também participaram policiais de Eldorado, Mundo Novo e Tacuru.

O trabalho foi realizado em três fases. A primeira foi de identificação, qualificação e confirmação de que os alvos estavam traficando. A segunda foi interceptação telefônica e prisões em flagrante. A terceira fase foi de buscas e apreensões simultâneas.

Durante as interceptações realizadas ao longo deste ano, foram presas em flagrante, por tráfico de drogas e outros crimes, quatro pessoas. Os policiais identificaram ainda, o envolvimento de uma conhecida organização criminosa na prática dos crimes.

Nesta quinta, foram cumpridos nove mandados de busca e apreensão, sendo que a operação contou com a participação total de 28 policiais civis, além da equipe do Canil da Polícia Federal de Guaíra. No cumprimento de mandado de busca e apreensão na residência de suspeito identificado como K.J.D., foi encontrado uma arma de fogo, calibre .38, com a numeração raspada.

Também havia diversas munições de origem estrangeira, 320 gramas de maconha prontas para venda, R$ 11.772,80 que estavam escondidos em diversos pontos da casa, e um veículo VW Gol, que era utilizado para a distribuição dos entorpecentes.

Nas buscas na casa de outro suspeito, identificado como R.A.P., que não estava no local, foi encontrado 160 gramas de Skank. Os policiais foram até o local de trabalho do suspeito, que acabara de ser resgatado por W. K., que o levou de carro até a sua casa para se esconder. 

A equipe foi até o local, mas o primeiro alvo conseguiu fugir fuga em meio a um matagal, motivo pelo qual W.K. foi preso pelo crime de favorecimento pessoal. Na residência de outra pessoa identificada como R.F.S, foi encontrada a quantia de R$ 5.960,50, além de 14 aparelhos de telefone celular, cujas origens serão analisadas.

Nas residências dos demais alvos foram apreendidos diversos aparelhos de telefone celular, notebooks e apontamentos em papéis para análise acerca de eventual participação nos crimes investigados.

Mais notícias