Após 3 anos, polícia não encontrou quem executou brasileira na frente dos filhos

Brasileira teria envolvimento com segurança do narcotraficante Jorge Rafaat

Após três anos da execução da brasileira Josiane Vanessa Zilio, de 32 anos, em agosto de 2016, a polícia ainda não encontrou os pistoleiros que assassinaram a sangue frio a mulher na frente dos filhos, de 5 e 8 anos, em Pedro Juan Caballero, a fronteira com Ponta Porã, a 346 quilômetros de Campo Grande.

Josiane foi morta a tiros de fuzil e pistola 9mm quando chegava em casa. Os tiros atingiram a cabeça da vítima, que morreu no local. Os filhos de Josiane estavam brincando o quintal e viram a mãe ser assassinada.

Na época o ex-marido de Josiane, Walter Rodrigo Arevalos, foi apontado como o mandante do crime, mas nada foi confirmado. Uma varredura chegou a ser feita no presídio onde estava preso Walter para tentar encontrar provas que o ligassem ao crime.

Informações da polícia na época ainda revelaram que Josiane teria tido um envolvimento com um segurança do narcotraficante Jorge Rafaat, morto a tiros de fuzil em uma emboscada em junho de 2016.

Os autores do assassinato do narcotraficante usaram armas de grosso calibre para o crime, fuzis AK 47, Mag antiaérea e metralhadoras. Os suspeitos estariam em três veículos.

O assassinato de Josiane e sua motivação ainda é um mistério, apesar da polícia apontar que a morte da brasileira seria queima de arquivo. 

Mais notícias