Após 13 horas de terror, motorista feito refém vai abandonar profissão

Medo e insegurança são os principais motivos

O motorista de aplicativo mantido refém durante roubo de veículo nesta terça-feira, em Campo Grande, disse que pretende abandonar a profissão. Ele ficou por cerca de 13 horas preso em cativeiro pelos bandidos, amarrado pelas mãos à janela do quarto de um imóvel que ele não tem certeza onde fica. Em todo esse tempo, não parou de pensar na família, imaginando que fosse morrer.

Logo depois de prestar depoimento na Defurv (Delegacia Especializada de Repressão a Furtos e Roubos de Veículos), a vítima falou com a equipe de reportagem do Midiamax e relatou como foram os momentos de tensão. Conforme já noticiado, ele foi abordado no início da tarde, nas imediações do Shopping Norte Sul Plaza, na região da Vila Nhá-Nhá.

Na ação, os dois ladrões assumiram a direção do veículo e ordenaram que a vítima fosse para o banco traseiro e que ficasse com a cabeça abaixada. “Falavam que se eu levantasse, iriam atirar”, comentou ele, que foi levado para o cativeiro, onde foi amarrado. “Fiquei o tempo todo pensando na família, pensando que ia morrer”. Depois de 13 horas, os ladrões o colocaram no porta-malas e o libertaram.

No entanto, antes que a vítima estivesse totalmente livre, eles a chutaram e novamente ordenaram que não olhasse, caso contrário seria baleado. Em seguida, ele pediu ajuda e entrou em contato com o irmão e procurou a polícia. Questionado sobre os rumos na profissão, ele respondeu: “Não vou mais fazer; medo e insegurança”.

A esposa, de 32 anos, também passou por momentos de tensão sem saber onde o marido estava. Ela conta que por volta 20 horas, ele não chegou como esperado, motivo pelo qual ela tentou contactá-lo, mas sem sucesso, já que o marido não atendia às ligações. Por isso, foi à delegacia de plantão para registrar boletim de ocorrência, às 22 horas. Por volta da meia-noite, descobriu que ele havia sido libertado. O carro foi encontrado abandonado nesta quarta-feira à tarde.

O Caso

O motorista, de 29 anos, contou na delegacia que estava parado próximo ao shopping, quando dois rapazes chegaram e perguntaram se ele seria motorista de aplicativo e se faria uma corrida. Em seguida, eles entraram no veículo Fiat Uno.

O bandido que sentou no banco ao lado do motorista estava armado e apontando o revólver para o motorista anunciou o assalto. Ele mandou que a vítima passasse para o banco traseiro e ficasse abaixado. Em seguida, o rapaz foi levado até uma casa, que não soube explicar onde ficaria.

Lá, o motorista foi amarrado com pedaços de pano e foi trancado em um cômodo da residência. Durante a noite, os ladrões voltaram e o colocaram no porta-malas do carro o levando até a avenida Guaicurus próximo ao museu o abandonando no local. A vítima conseguiu ligar para o irmão e pedir ajuda.

Os bandidos levaram o celular do motorista, R$ 130 e o carro. O veículo foi recuperado na tarde desta quarta-feira abandonado na rua Paschoal Carlos Magno, no Jardim Centenário.

Mais notícias