Acusado de matar sogro a facada tenta alegar que sofreu ameaças

Disse que a sogra o ameaçava naquela noite

Preso na última sexta-feira (6) pela morte do sogro Airton Pacheco, de 56 anos, rapaz de 23 anos disse à polícia que foi ameaçado pela sogra. O crime aconteceu no Residencial Dalas, quando a família da esposa do acusado foi buscar a jovem, que era agredida pelo marido.

Em depoimento, o preso confirmou as agressões e também o homicídio. Ele contou que estava na casa com a esposa e o filho de 1 ano, quando eles começaram uma discussão porque ele queria ouvir música e ela proibiu. A jovem chegou a contar para a polícia que o bebê dormia e por isso ela não quis que o marido ouvisse som alto.

Na discussão, o rapaz agrediu a mulher com tapas e a derrubou. Ele foi para o quarto e aproximadamente 20 minutos depois a família da jovem foi até o local. O rapaz então alegou para os policiais que a sogra foi tirar satisfação com ele e tentou agredi-lo com tapas e que chegou a dizer que iria na cozinha pegar uma faca.

O rapaz teria saído da casa e quando voltou a família já tinha juntado os pertences da jovem e ia embora na Fiorino da vítima. Quando o suspeito pegou a faca e bateu no vidro do veículo, a sogra teria dito “Passa por cima dele”. Airton não chegou a mover o carro, mas o rapaz foi até ele e o esfaqueou no pescoço.

A vítima morreu no local e equipes da Polícia Militar e Polícia Civil foram ao local. Sabendo que familiares do rapaz moravam nas proximidades, equipe do GOI (Grupo de Operações e Investigações) fez buscas e encontrou o suspeito escondido na casa do pai. Ele foi preso em flagrante e levado para a Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) Piratininga.

O rapaz estava bastante alterado no momento da prisão, mas negou ter feito uso de drogas ou álcool. Ele passa por audiência de custódia nesta segunda-feira (9) que definirá se ele continua preso.

Acusado de matar sogro a facada tenta alegar que sofreu ameaças
Mais notícias