Por divergências, júri de Nando é adiado e só comparsa será julgado

Comparsa nega que tenha cometido o crime

O julgamento de Luiz Alves Martins Filho, o Nando, foi desmembrado por divergências e o júri dele que deveria acontecer nesta sexta-feira (21) foi adiado, sendo julgado apenas Jean Marlon Dias Domingues.

Segundo o defensor público, Gustavo Henrique Silva, foi feito o pedido de desmembramento porque Jean nega que estava no local do crime e que tenha cometido o assassinato contra Lessandro Valdonado de Souza, de 13 anos.

“Fiz o pedido porque não tenho como defender os dois, já que um deles alega inocência”, disse o promotor.

Lessandro foi morto no dia 1º de agosto de 2016. Ele teria sido assassinado por Nando, Talita Regina de Souza e Jean Marlon Dias Domingues. Conforme denúncia do Ministério Público Estadual, Talita, que era cunhada da vítima, teria pedido para matar Lessandro, pois ele tinha flagrado ela traindo seu irmão.

Os três suspeitos levaram a vítima para o bairro Jardim Veraneio e a mataram asfixiada com uma corda. Assim como os outros assassinatos cometidos pelo “grupo de extermínio”, a vítima foi enterrada de cabeça para baixo, em um cemitério clandestino, no bairro Danúbio Azul.

Nando está preso desde 10 de novembro de 2016, dois meses após o início das investigações feita pela polícia sobre a morte de ‘Leleco’, Leandro Aparecido Nunes Ferreira, de 28 anos. Ele é acusado de 16 homicídios, mas responde na Justiça por ligação direta com 13.

 

 

Por divergências, júri de Nando é adiado e só comparsa será julgado
Mais notícias