Notícias de Mato Grosso do Sul e Campo Grande

Ao júri, pedreiro diz que tentou matar mulher após descobrir suposta traição

O réu chegou atrasado no júri e acabou não sendo ouvido

Foto: Mariana Rodrigues/Midiamax

Foi a julgamento na manhã desta terça-feira (15), em Campo Grande, o pedreiro Renato Franca Sampaio, 25 anos, pela tentativa de homicídio contra sua ex-companheira, de 33 anos, em março de 2014, no Bairro Guanandi.

O réu, que aguardava julgamento em liberdade, chegou atrasado no júri e acabou não sendo ouvido.

Na época, Renato disse que a briga foi motivada por uma suposta traição. Ele contou que havia pegado o celular da vítima e encontrado vários contatos diferentes. Ele resolveu ligar para um desses contatos, salvo como “Ana”, quando um homem atendeu e se identificou.

Ele colocou o celular no modo viva voz e ambos discutiram e trocaram ofensas pelo telefone. O homem acabou dizendo que mantinha um relacionamento com a esposa do acusado.

Na data ele havia ingerido bebida alcoólica e estava sob efeito de drogas. Eles faziam um churrasco no dia do crime.

Caso

No dia 30 de março de 2014, por volta das 15h, Renato, utilizando duas facas tentou matar sua esposa na época. Ele havia descoberto uma suposta traição. Irritado por conta da desconfiança, o acusado pegou duas facas e investiu contra a mulher, parando a agressão quando achou que ela estivesse morta. Um tio do autor também foi golpeado quando tentou intervir. Ele foi atingido no abdômen.

O acusado e a vítima conviviam maritalmente e possuíam um filho. Antes do crime, a vítima já havia terminado o relacionamento com o réu, em virtude de sua agressividade e por ser usuário de drogas. Em outubro de 2013, reataram o relacionamento.

 

Você pode gostar também