Padrasto que matou enteada após ser cobrado para ajudar nas contas é condenado

Pena foi de mais de 27 anos de prisão em regime fechado

Após julgamento que aconteceu nesta quinta-feira (22), a Justiça condenou Ramão Carvalho de Souza, de 56 anos, a mais de  27 anos de prisão em regime fechado por matar a tiros a enteada Talia Soares Reche, de 19 anos, e balear a esposa.

O crime aconteceu no dia 7 de junho de 2017 depois de uma discussão em que a jovem pediu para que o  autor ajudasse a pagar as contas da casa onde os três moravam.

Pelo feminicídio da enteada, a pena foi fixada em 17 anos e nove meses; pela tentativa feminicídio da esposa, a condenação foi de 8 anos e 10 meses de prisão.

Ramão também foi condenado a um ano de reclusão pelo crime de porte ilegal de arma de fogo, totalizando 27 anos e 8 meses de reclusão.

Após a sentença, o acusado foi encaminhado novamente à Penitenciária da cidade, onde já estava preso.

O caso

Talia Soares Reche, de 19 anos, morreu e a mãe dela, Elza Aparecida Soares, de 47 anos, ficou em estado grave depois de serem atingidas por  tiros na noite do dia 7 de junho de 2017, em Rio Brilhante. O crime aconteceu enquanto as duas lavavam roupas na casa onde moravam, no Bairro Benedito Rondon.

Ramão Carvalho de Souza, o autor, fugiu após o crime, no entanto, foi preso momentos depois escondido em um matagal. Segundo o site Rio Brilhante em Tempo Real, a jovem atingida por vários tiros não resistiu aos ferimentos e morreu ao dar entrada no hospital da cidade.

Já a mãe foi encaminhada à unidade de saúde em estado grave e precisou ser transferida para um hospital de Dourados devido à gravidade dos ferimentos.

Mais notícias