Notícias de Mato Grosso do Sul e Campo Grande

Novas vítimas procuram polícia para denunciar estupro de auxiliar de treinador

Laudos psicológicos comprovaram que as crianças foram vítimas de estupro

Outras três possíveis vítimas de estupro do treinador voluntário de uma escolinha de futebol, de 50 anos, e também motorista da prefeitura da cidade de Três Lagoas, a 338 quilômetros de Campo Grande, procuraram a polícia durante esta quinta-feira (9).

Um adulto, e duas crianças contaram à polícia que também foram vítimas do assistente de treinador.

De acordo com o delegado responsável pelo caso, Roberto Guimarães, as vítimas tomaram coragem de denunciar os casos de abuso depois que, através das reportagens, ficaram sabendo que o autor estava preso. “Elas se sentiram mais seguras após terem o conhecimento sobre a prisão do autor dos estupros. São duas crianças, que ainda não posso revelar a idade, e um adulto que podem ter sido vítimas dele”, explicou.

Ainda de acordo com o delegado, não há indícios de que o homem teria cometido os abusos durante as aulinhas de futebol. O suspeito nega todas as acusações. O caso chegou à polícia através do MP (Ministério Público). Um jovem de 18, que supostamente foi estuprado pelo homem quando ainda era criança, fez a denúncia. Ao ouvir o jovem, o delegado chegou a outras duas possíveis vítimas, ambas menores de idade.

Após ouvir as crianças e seus responsáveis, a polícia encaminhou os jovens para avaliação psicológica. Quando o laudo constatou o abuso sexual, a polícia pediu a prisão preventiva do homem, que foi concedida pela Justiça.

Em nota o clube de futebol afirmou que o auxiliar não trabalha como professor e que aparece eventualmente nos treinos.

O suspeito foi preso na manhã desta quinta-feira (9), dentro do escritório de seu advogado, em Três Lagoas. Com ele, dois celulares e uma câmera fotográfica foram apreendidos e encaminhados à perícia.

A mãe de uma das vítimas contou que frequentemente o treinador ia fazer visitas para seu filho na sua residência, sendo que em uma delas a criança teria tido a reação de não querer ver o homem em sua casa.

O suspeito continua preso. A polícia agora investiga a denúncia dessas outras três possíveis vítimas.

A prefeitura de Três Lagoas o afastou do cargo de motorista que ele ocupava na Secretaria de Educação e Cultura.

Você pode gostar também
Comentários
Carregando...