Mulher que foi queimada por marido no São Conrado está grávida de três meses

Teve 40% do corpo queimado

A mulher de 28 anos que foi queimada pelo marido na noite desta quarta-feira (12), no Jardim São Conrado, em Campo Grande, está grávida de três meses. Ela teve 40% do corpo queimado, braços e pernas.

Segundo a delegada-adjunta da Deam (Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher), Jennifer Estevam de Araújo, o marido da vítima confessou ter ateado fogo na esposa, mas que depois que viu o que tinha feito ajudou a mulher a retirando da casa e levando para fora.

Ele ainda teria dito que o casal vinha se desentendendo constantemente e que na noite desta quarta (12), a esposa estava no quarto com a filha quando ele entrou com uma garrafa de tíner e isqueiro, mas para fazer bife na chapa.

O casal iniciou uma discussão e ele teria jogado o tíner na esposa e ateado fogo nela. O homem deve passar por audiência de custódia na tarde desta quinta-feira (13).

Estado de saúde

O estado de saúde da mulher é considerado estável. Ela está internada no Centro de Tratamento de Queimados do hospital, consciente e conversando normalmente. Não há previsão por enquanto de procedimento cirúrgico e nem alta.

A menina está na área verde do hospital e também não há previsão de alta. Ela sofreu queimaduras no tornozelo e nos pés, após o pai de 34 anos atear fogo na esposa.

O crime

A mulher estava sentada na cama quando começou a amamentar a criança, filha do casal. De repente, o suspeito entrou no quarto e com um frasco de tíner, jogou na mulher e acabou respingando na menina. Depois disso o homem pegou um isqueiro e ateou na vítima.

Os vizinhos ouviram os gritos de socorro e chamaram o Corpo de Bombeiros. Inicialmente, o suspeito disse aos militares que estava fazendo bife na chapa e acabou pegando fogo no colchão, se alastrando para o cômodo.

A história não convenceu os militares e após questionamentos, ele acabou confessando que queimou a mulher propositalmente. O homem foi preso depois da chegada da Polícia Militar e será encaminhado para a Deam (Delegacia de Atendimento à Mulher).

 

 

Mais notícias