Ex-chefe de segurança de Raffat pode ter sido fuzilado em Campo Grande após ‘entregar’ o chefe

Foi executado com mais de 40 tiros de fuzil

Orlando da Silva Fernandes, 41 anos, conhecido como ‘Orlando Bomba’, foi fuzilado com mais de 40 tiros de fuzil 5.56 na Rua Amazonas, Jardim Autonomista, na última sexta-feira (26), porque teria entregado o esquema do narcotraficante Jorge Rafaat Toumani.

Informações extraoficiais são de que depois de entregar o esquema de tráfico de Raffat, facilitando assim a execução do narcotraficante, ‘Orlando Bomba’ teria fugido da fronteira se escondendo em Campo Grande, já que estaria jurado de morte.

‘Orlando Bomba’ foi executado com tiros de fuzil na cabeça, tórax, e braços em frente a uma barbearia. Dois homens chegaram em uma Dodge Journey, desceram e executaram ele, que saía do local e ia em direção à sua camionete Hillux. Um outro homem em uma moto deu apoio para a execução.

A polícia encontrou no local com a vítima três celulares intactos que estavam com ele, além de cheques e quantia em dinheiro.

Um cliente da barbearia teve seu veículo atingido por dois tiros, um deles atingiu o vidro da porta da frente e os estilhaços acabaram causando lesões em seu pescoço. Outro cliente teve as rodas de seu carro atingidas.

Uma loja de vestidos de noiva também foi atingida pelos disparos. Após a execução, os autores fugiram, pouco tempo depois um veículo com as mesmas características foi encontrado incendiado em uma estrada de chão conhecida como estrada boiadeira que fica atrás da UCDB.

Execução Rafaat

Jorge Rafaat Toumani foi executado com mais de 16 tiros e teve morte instantânea na noite doa dia 15 de junho de 2016, em Pedro Juan Caballero, na fronteira. Os autores do assassinato do narcotraficante usaram armas de grosso calibre para o crime, fuzis AK 47, Mag antiaérea e metralhadoras. Os suspeitos estariam em três veículos.

As armas furaram a blindagem do Jipe Hummer ocupado por Rafaat. Várias outras pessoas teriam ficado feridas, dentre elas um policial identificado como Jorge Espindola. Um dos seguranças de Rafaat morreu durante o tiroteio, que durou mais de 20 minutos.

 

 

Mais notícias