Notícias de Mato Grosso do Sul e Campo Grande

Esquema ‘abastecia’ ricos e famosos de Campo Grande com importados ilegais

Cantor sertanejo fez propaganda para loja 

Esquema que vendia produtos de descaminho em Campo Grande, desmontado nesta quinta-feira (21) em operação da Polícia Federal, tinha como clientes políticos, cantor sertanejo conhecido nacionalmente, artistas locais e nomes conhecidos da sociedade sul-mato-grossense. Para expor o sucesso dos negócios, o investigado ostentava fotos em países da europa, com carros de luxo e ao lado de personalidades.

Em uma publicação na rede social que divulgava a loja, um cantor sertanejo de fama nacional faz propaganda e diz que o investigado é “o melhor fornecedor de produtos importados de Mato Grosso do Sul”.

Pela manhã, policiais federais e técnicos da Receita Federal estiveram na loja do suspeito, localizada em um hotel nos altos da Avenida Afonso Pena, e recolheram produtos expostos, que segundo investigação, seriam frutos de descaminho, ou seja, material estrangeiro que estrou no País sem o pagamento de imposto.

A  Operação Hárpocrates, tem como objetivo combater a entrada e comercialização de produtos estrangeiros no Brasil sem o pagamento de impostos. Quatro mandado de busca e apreensão estão sendo cumpridos por três auditores e dois analistas fiscais da Receita Federal e 18 policiais federais.

A operação é desdobramento de uma investigação que descobriu esquema de descaminho e lavagem de dinheiro. A primeira envolve a venda de produtos eletrônicos e a segunda constatou venda de roupas de grife.

O nome da operação faz referência à mitologia grega. Harpócrates é o deus do silêncio e segredo, o que segundo a PF, contrasta com a ostentação apresentada por alguns dos investigados.

 

 

Você pode gostar também