Coincidência trágica: Mayara tocaria na missa de 7º dia de Silveira e esposa

Na Paróquia Sagrado Coração de Jesus

A musicista Mayara Amaral, 27,  morta a marteladas no último dia 25 em Campo Grande tocaria na missa de 7º dia do ex-vereador Cristovão Silveira, 65, e sua esposa Fátima Silveira, 56,  na noite da última terça-feira (25), na Paróquia Sagrado Coração de Jesus. 

Porém, na noite da última terça-feira, o corpo de Mayara – morta de forma brutal assim como o casal – foi encontrado em chamas em uma estrada que dá acesso ao Inferninho. A polícia acredita que Mayara foi morta durante a madrugada de terça.

O filho de Silveira e Fátima, Filipi Silveira, postou o fato da trágica coincidência em seu perfil do Facebook. Um dia antes da cerimônia, na segunda-feira (24), Filipi convidou Mayara para tocar a música “Pra Você Guardei o Amor”, de Nando Reis. “Porém após a missa o sumiço de Mayara começou a se tornar um pesadelo”, diz Filipi.

Leia a postagem:

Cristovão Silveira e Fátima de Jesus Diniz Silveira, meus pais amados e queridos, foram cruelmente assassinados com uma selvageria de dar vergonha a um primata. Dia 25 foi a missa de sétimo dia deles, foi um momento lindo e emocionante para todos que presenciaram. Respirei fundo e discursei para homenageá-los, cantamos parabéns para meu pai, com a ajuda de Carla Vaz, Maycon Balbino e Lucas Garcia foi realizado um momento ímpar onde foi possível realizar o sonho de minha mãe de cantar a música “Pra Você Guardei o Amor” de Nando Reis que seria para seu casamento que por ironia do destino acabou ocorrendo no final na Missa de Sétimo Dia. Eles não casaram em festa aqui, mas acredito que onde quer que estejam, devem ter se casado. Na organização desta minha homenagem acabou faltando algo, uma pétala chamada Mayara Amaral. Um dia antes da missa perguntei se Mayara se ela toparia tocar a música de Nando Reis para a Missa, ela prontamente topou e começou ensaiar no mesmo dia. No dia da Missa, Mayara sumiu, achei que ela tinha esquecido ou algo urgente ocorreu para ela resolver. Lucas Garcia que tinha topado homenagear meu pai tocando uma música instrumental regional de raiz do jeito que meu pai gostava, conhecia a música de Nando e ajudou Carla e Maycon a cantarem, porém após a missa o sumiço de Mayara começou a se tornar um pesadelo. Mayara não foi a Missa porque também sofreu uma emboscada covarde e foi assassinada de um modo cruel e selvagem. O pouco que conheci Mayara é que assim como meus pais eram uma menina intensa e humana, ela era uma grande artista e para ser um grande artista você precisa ser antes de tudo um bom ser humano. Meu pai, minha mãe e Mayara eram humanos, porque acreditavam e confiavam em quem foram seus algozes, o lobo estava atrás da porta. Meus pais acreditavam no caseiro do sítio, Mayara confiava naquele que a beijava. Agora só nos resta que justiça seja feita rigorosamente. Quem sabe Mayara não tenha cantado “Pra Você Guardei o Amor” para meus pais em outro plano.

Mais notícias