Notícias de Mato Grosso do Sul e Campo Grande

Caso de roubo de carga liga irmã ao principal suspeito de matar Mayara

Mulher foi presa vendendo produtos roubados

Suspeita de estar envolvida em um roubo de carga junto com o cunhado, foi presa na madrugada de sábado (16), Viviane Fontoura Holsback, 20 anos, irmã de Mayara Fontoura Holsback, 18 anos, encontrada morta a golpes de tesoura na manhã do mesmo dia.

De acordo com o boletim de ocorrência, policiais militares teriam recebido uma denúncia de que Viviane estaria oferecendo produtos da empresa Semalo para diversas conveniências e pessoas na região da vila Nhanha e entorno, por um preço abaixo do mercado.

Uma equipe de policias à paisana foi até o local e passou a fazer então diligências na região, onde conseguiram filmar a irmã da vítima oferecendo uma carga grande de salgadinhos. Ainda segundo o b.o, Viviane foi abordada e levou os policiais até uma residência localizada na Rua Ranulfo Correa, na vila Nhanha. No local foram encontrados 14.712 mil salgadinhos, distribuídos em 613 caixas.

Conforme o relato no boletim de ocorrência, essa carga seria proveniente de um roubo realizado no dia 12 de agosto deste ano à um caminhão da empresa Semalo.

Viviane teria dito aos policiais que o cunhado, principal suspeito de matar Mayara, teria saído da prisão há pouco tempo suspeito pelo assassinato de uma outra ex-companheira, seria um dos vendedores do produto. Ela contou ainda, que através dele teria conhecido um rapaz que foi companheiro de cela de cela que foi quem pediu para que alugasse a residência. No dia 25 de agosto a mulher então teria alugado o imóvel para armazenar os produtos.

Ao alugar o imóvel, Viviane então recebeu a informação de que um outro homem ficaria responsável pela venda dos salgadinhos roubados. O rapaz de 34 anos, seria um preso monitorado por tornozeleira eletrônica, e passou então a frequentar a casa em um veículo Gol Branco.

Os policiais então foram até a residência do rapaz, localizada na Travessa da Boa Vizinhança onde ele foi preso. No local foram encontradas seis unidades de erva mate, doze unidades de biscoitos e duas caixas vazias da empresa Semalo. Foi identificado também um outro comparsa, o jovem de 22 anos, que constantemente ajudava na carga e descarga dos salgadinhos.

Os três envolvidos foram conduzidos à Delegacia, de acordo com as informações preliminares. O suspeito do assassinato de Mayara ainda continua foragido e o rapaz que aparentemente seria o responsável pelo esquema e colega de cela do autor do homicídio, ainda estaria preso.  

Você pode gostar também