Polícia

Universitária denuncia professora que a chamou de ‘cara pálida’ na faculdade

Por ser indígena a jovem se sentiu humilhada 

Midiamax Publicado em 18/04/2016, às 23h51

None
delegacia_de_dourados.jpg

Por ser indígena a jovem se sentiu humilhada 

Uma estudante de enfermagem da UEMS (Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul) de Dourados procurou a polícia na tarde desta segunda-feira (18) para denunciar um de suas professoras por racismo. A jovem, que é indígena, relatou que foi constrangida na frente dos colegas ao ser chamada de “cara pálida” pela docente.

De acordo com o boletim de ocorrência, o caso aconteceu no dia 12 deste mês, mas só foi registrado nesta segunda-feira. Para a polícia, a jovem de 25 anos contou que estava em aula prática no Hospital Universitário da cidade quando a professora pediu para que ela colocasse a folha de relatório no prontuário do paciente.

A vítima então perguntou como deveria furar a folha e neste momento foi ofendida pela docente, de 43 anos. “Assim você não sabe furar uma folha, assim que se faz o cara pálida”.

A jovem contou para a polícia que por ser indígena se sentiu humilhada. Ainda de segundo a estudante, depois do comentário a professora ainda ficou rindo da situação, o que a deixou mais constrangida.

O caso foi registrado como injuria, se consiste na utilização de elementos referentes à raça, cor, etnia, religião, origem ou a condição de pessoa idosa ou portadora de deficiência na 1ª Delegacia de Polícia Civil de Dourados.

Jornal Midiamax