Índios impedem trabalho da PF e dos agentes do Ibama durante fiscalização

O caso aconteceu na Aldeia Buriti, em Sidrolândia

Índios da Aldeia Buriti, localizada em Sidrolândia, a 70 quilômetros de Campo Grande, impediram o trabalho de policiais federais e de fiscais do Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis) durante uma fiscalização ambiental realizada no dia 28 de junho.

O caso aconteceu em uma operação conjunta entre os dois órgãos e a PMA (Polícia Militar Ambiental), que visava fiscalizar áreas rurais públicas, quilombolas e indígenas, no Estado.

Segundo a PF (), os indígenas ameaçaram tomar as câmeras, filmadora e as anotações da equipe caso ela não se retirasse do local. Na região, que ainda não foi demarcada, os policiais observaram uma grande quantidade de árvores derrubadas e já preparadas para o uso.

Árvores centenárias, que ficavam próximas da antiga sede da Fazenda Buriti e parte da reserva, foram extraídas ilegalmente pela comunidade. Troncos de madeira nobre, como aroeira, jatobás, faveiros, cumbarus, ipês, foram encontradas no chão pela equipe.

A explicou que vai irá instaurar inquérito policial para apurar os responsáveis pela ação criminosa ambiental na região, já que na data os índios não quiseram se identificar.

Em outra ação, desta vez no Pantanal do Piquiri em Sonora, a 366 quilômetros da Capital, também foram constatados crimes ambientais. No local, foram encontrados apenas os troncos e raízes das árvores.

Assim que identificados, os responsáveis pelo desmatamento ilegal foram multados e notificados.  Conforme a , neste caso, também foi instaurado inquérito policial, visando apurar as responsabilidades penais dos indivíduos.

Operação

As fiscalizações iniciaram depois que o Setor Técnico da de Geoprocessamento observou imagens de satélite, onde ficou comprovado que cortes seletivos de árvores estavam ocorrendo em algumas regiões.

Índios impedem trabalho da PF e dos agentes do Ibama durante fiscalização
Mais notícias