O que há por trás da praga de gafanhotos?

Wilson Aquino*

O que há por trás da praga de gafanhotos?

O registro de grandes catástrofes por todo o mundo, de maneira mais acentuada nas últimas décadas: terremotos, furacões, ciclones (ontem em Santa Catarina), tornados, inundações, tsunami, queimadas, secas… agravadas este ano pelo Coronavírus, que ceifa milhares de vidas diariamente em quase todos os países, precisa ser analisado por outra ótica que não a científica e técnica.

A última praga que surge ameaçando inclusive o Brasil, vindo da Argentina, a de gafanhoto, que devora milhares de toneladas de alimentos das lavouras em questão de minutos, nos remete em velocidade à questão espiritual desses fatos.

Estaria o homem sofrendo essas calamidades porque está afastado de Deus? As Escrituras Sagradas estão repletas de relatos e fatos que a humanidade atravessou ao longo de sua história e que, muitos deles, são atribuídos sim à falta de espiritualidade individual e coletiva.

A Bíblia é clara quando atribui grandes catástrofes à iniquidade do povo, quando abandona os ensinamentos e mandamentos de Deus.

O Senhor é explicitamente claro no trato desse assunto. Veja por exemplo como Ele fala a Salomão no Livro de II Crônicas (13 e 14):

13 Se eu fechar os céus, e não houver chuva; ou se ordenar aos gafanhotos que consumam a terra; ou se enviar a peste entre o meu povo;

14 E se o meu povo, que se chama pelo meu nome, se humilhar, e orar, e buscar a minha face e se converter dos seus maus caminhos, então eu ouvirei dos céus, e perdoarei os seus pecados, e sararei a sua terra.

Observe que o Senhor fala em gafanhotos e pragas que podem prejudicar a vida do homem e, ao mesmo tempo, Ensina como ele pode livrar-se desses males: Dobrando os joelhos em oração; Buscando o Senhor com fé e se conscientizando  das coisas erradas que tem feito no dia a dia, abandoná-los e pedir perdão a Ele.

O homem tem capacidade de reverter todo quadro de dor, sofrimento e tristeza que atravessa, desde que se volte ao Senhor. E o primeiro passo para isso é por intermédio do arrependimento, que é o meio dado ao homem para se libertar dos erros e pecados e receber o perdão por eles.

O arrependimento torna possível que a pessoa cresça e se desenvolva espiritualmente. Entretanto, trilhar esse caminho, algumas vezes requer  grande coragem, muita força, muitas lágrimas, orações incessantes e esforços incansáveis para viver uma vida espiritual digna e honrada, alicerçada nos mandamentos e ensinamentos de Deus.

Spencer W. Kimball, autoridade religiosa de A de Jesus Cristo dos dos Últimos Dias, declarou em 2006: “Não há atalhos para o arrependimento. Nenhum caminho privilegiado para o perdão. Todos os homens precisam seguir o mesmo curso, sejam eles ricos ou pobres, com ou sem instrução, altos ou baixos, plebeus ou nobres, reis ou súditos”.

Para se arrepender é preciso admitir para si mesmo que pecou, que errou. Se não fizer isso, não pode se arrepender. Além disso, precisa sentir uma tristeza sincera pelo que fez (ou faz) de errado. Só então a pessoa estará pronta para abandonar as coisas que não condizem com bons princípios morais e/ou espirituais.

Parte do arrependimento é fazer uma restituição. Isso significa que, até onde for possível, a pessoa precisa transformar em bem qualquer mal que tenha cometido. Por exemplo: O precisa devolver o que roubou. O mentiroso tornar conhecida a verdade. O caluniador que manchou o caráter de uma pessoa precisa esforçar-se para restaurar o bom nome dela.

Perdoar aos que pecam contra você também faz parte desse processo de luta por uma vida honrada e digna. O Senhor não o perdoará, a menos que tenha o coração completamente livre de todo ódio, amargor e ressentimentos para com outras pessoas.

Portanto, se o homem voltar-se para seu interior e analisar com sabedoria seus atos e ações, com real intenção de se lapidar e se aperfeiçoar para crescer espiritualmente, dobrando os joelhos em oração e procurando abandonar as coisas erradas que fez ou que ainda faz, receberá  sim o gostoso sentimento da presença de Deus em seu peito e terá a confiança e a força necessária para trilhar e prosperar ao longo do Caminho da Vida.


*Jornalista e Professor

O que há por trás da praga de gafanhotos?
Mais notícias