Fé, antídoto do medo!

Wilson Aquino*

Fé, antídoto do medo!

A fé e o medo não coexistem dentro de um mesmo indivíduo. Enquanto a fé edifica o homem, tornando-o mais forte e resistente para vencer e superar os obstáculos da vida, o medo, ao contrário, inibe o crescimento e impede a tomada de decisões que poderiam ser imprescindíveis para o sucesso profissional, pessoal, familiar e espiritual da pessoa.

Apesar de pequeno na expressão e na escrita, “fé” é poderosíssima se bem entesourada na mente e espírito do indivíduo. É capaz de produzir grandes realizações e até milagres individuais e coletivos, desde que centralizada em Jesus Cristo.

É um dom Espiritual de Deus, que vem por intermédio do . Exige compreensão e conhecimento corretos de Jesus Cristo, Seus atributos divinos e caráter perfeito.

Quanto maior o conhecimento, entendimento e obediência do homem aos mandamentos e ensinamentos do Senhor, maior será sua fé Nele para que enfrente sempre de cabeça erguida toda e qualquer ameaça e obstáculos da vida.

Em Salmos 23, uma das Escrituras Sagradas mais conhecidas pelo homem, a mais clara e bela definição de como ela, a fé, opera no homem: “O Senhor é o meu pastor, nada me faltará.

Deitar-me faz em verdes pastos; guia-me mansamente a águas tranquilas.

Refrigera a minha alma; guia-me pelas veredas da justiça, por causa de seu nome”.

Em seguida, a parte que mais nos toca e nos consola: “Ainda que eu andasse pelo vale das sombras da morte, não temeria mal algum, porque tu estás comigo; a tua vara e o teu cajado me consolam”.

O próprio Senhor nos dá outros exemplos de que todo aquele que tem fé recebe o que deseja. Quem não conhece a história bíblica da mulher “que por 12 anos tinha um fluxo de sangue, e que havia padecido muitos médicos, e despendido tudo quanto tinha, nada lhe aproveitando, antes indo a pior;

Ouvindo falar de Jesus, veio por detrás, entre a multidão, e tocou na sua veste”. Ela acreditava que se fizesse apenas isso, tocar as vestes de Jesus, sararia. E isso de fato aconteceu. No mesmo momento o fluxo de sangue secou e foi curada desse mal.

Ocorreu que jesus percebeu que saíra de si poder. “Voltando-se para a multidão, disse: Quem tocou as minhas vestes? ”

“…Então a mulher que sabia o que lhe tinha acontecido, temendo e tremendo, aproximou-se e prostrou-se diante dele, e disse-lhe toda a verdade”. Observe a reação de Cristo e o que disse à mulher: “… Filha, a tua fé te salvou”. (Marcos 5:25-34)

Quando Jesus retornou da transcendental experiência espiritual no Monte da Transfiguração, foi abordado por um pai desesperado cujo filho precisava de ajuda. O pai implorou: “Se tu podes fazer alguma coisa, tem compaixão de nós e ajuda-nos”.

“Jesus respondeu: Se tu podes crer, tudo é possível ao que crê”. E o menino foi curado.

Observe que em inúmeros casos como este, o Senhor, que tem o poder de operar grandes milagres e até de ressuscitar os mortos, sempre diz que a cura vem por meio da fé daquele que busca a ajuda.

Vemos então, nas Escrituras Sagradas, que é de vital importância ao homem desenvolver a fé e vencer as fontes da descrença destrutiva. Pelos ensinamentos Dele, ao comparar a fé a um grão de mostarda, porção suficiente, se interiorizada na mente e espírito do indivíduo, é capaz sim de produzir grandes milagres.

Para aumentar a fé a pessoa precisa se aproximar mais e constantemente de Deus. Isso só é possível por intermédio da oração, da obediência aos Seus ensinamentos e mandamentos e da leitura das Escrituras Sagradas.

Kevin Pearson, membro de A Igreja de Jesus Cristo dos dos Últimos Dias, diz que a pessoa precisa também se conscientizar de que precisa se afastar dos “6 Ds Destrutivos”: dúvida, desânimo, distração, falta de diligência, desobediência e descrença:

“O primeiro é a dúvida. A dúvida não é um princípio do evangelho. Não vem da Luz de Cristo ou da influência do . A dúvida é uma emoção negativa relacionada ao medo. Resulta da falta de confiança em nossa própria capacidade ou habilidade. Não condiz com nossa identidade divina como filhos de Deus.

A dúvida leva ao desânimo. O desânimo decorre de expectativas frustradas. O desânimo crônico resulta em expectativas mais baixas, menor esforço, desejo enfraquecido e maior dificuldade em sentir e seguir o Espírito. O desânimo e o desespero são a antítese da fé.

O desânimo leva à distração ou falta de enfoque. A distração elimina o próprio enfoque exigido pelos olhos da fé. O desânimo e a distração são duas das mais eficazes armas de Satanás, mas também são maus hábitos.

A distração leva à falta de diligência: um compromisso menor de permanecer leal e fiel e de seguir adiante a despeito das dificuldades e decepções. A decepção é uma parte inevitável da vida, mas não precisa levar à dúvida, ao desânimo, à distração ou à falta de diligência.

Se não for revertido, esse caminho acabará levando à desobediência, que corrói a própria base da fé. Muito frequentemente o resultado é a descrença, isto é, a recusa consciente ou inconsciente em acreditar.

descrença é o estado descrito nas escrituras como a decisão de endurecer o coração. É a perda da sensibilidade”.

Esses Seis Ds Destrutivos corroem e destroem nossa fé. Temos a escolha de evitá-los e vencê-los, pois temos Deus e Jesus Cristo como aliados poderosíssimos e que estão sempre prontos para nos ajudar. Desde que façamos nossa parte e recorramos a eles com toda nossa força e fé.

 

*Jornalista e Professor

Fé, antídoto do medo!
Mais notícias