Mundo

Estudo indica que coronavírus já circulava no Brasil um mês antes de ser detectado na China

Um estudo realizado por universidades da Espanha e Colômbia indica que o novo coronavírus já circulava no Brasil em novembro de 2019, ou seja, um mês antes dos primeiros casos confirmados em Wuhan, na China. As universidades envolvidas nos estudos são a de Burgos, na Espanha e a Santa Catarina, na Colômbia. A análise chefiada […]

Gabriel Neves Publicado em 12/03/2021, às 12h12

Foto ilustrativa | Saul Schramm, Subcom-MS
Foto ilustrativa | Saul Schramm, Subcom-MS - Foto ilustrativa | Saul Schramm, Subcom-MS

Um estudo realizado por universidades da Espanha e Colômbia indica que o novo coronavírus já circulava no Brasil em novembro de 2019, ou seja, um mês antes dos primeiros casos confirmados em Wuhan, na China.

As universidades envolvidas nos estudos são a de Burgos, na Espanha e a Santa Catarina, na Colômbia. A análise chefiada pelo professor David Rodríguez Lázaro foi publicada na revista científica Science of the Total Environment.

Conforme explica o professor, os estudos puderam ser realizados a partir de amostrar coletadas antes de 20 de março de 2020. O vírus foi detectado por meio de sistemas RT-qPCR, recomendados pelo US DCD (Center for Disease Control).

Para confirmar os resultados, os especialistas enviaram amostras em duplicidade para laboratórios independentes. “Paralelamente, as amostras foram entregues e um processo de detecção realizado em um laboratório independente e por meio de outro sistema de PCR”, diz a publicação.

A pesquisa, que foi realizada em águas residuais Florianópolis (SC), indica que essa é a primeira detecção mundial da presença do RNA do vírus SARS-CoV-2. Os cientistas também mostraram que a carga viral da SARS-CoV-2 foi constante até o início de março.

*Matéria produzida com informações da Forbes México.

Jornal Midiamax