Mundo

Cemitério paraguaio prepara valas coeltivas para vítimas da pandemia

Com casos crescentes, novas mortes e sem vacina, a direção do cemitério Sul, no Bairro Obrero, em Assunção, na capital do Paraguai, autorizou a abertura de valas coletivas para sepultamento de vítimas do coronavírus. A intenção é habilitar 240 vagas para diminuir a demanda de enterros. Levantamentos do órgão responsável pelos cemitérios no Paraguai apontam […]

Marcos Morandi Publicado em 13/03/2021, às 08h37

Corredores de cemitério poderão ser usados para enterro coletivo em Assunção.(Foto: ABC Color)
Corredores de cemitério poderão ser usados para enterro coletivo em Assunção.(Foto: ABC Color) - Corredores de cemitério poderão ser usados para enterro coletivo em Assunção.(Foto: ABC Color)

Com casos crescentes, novas mortes e sem vacina, a direção do cemitério Sul, no Bairro Obrero, em Assunção, na capital do Paraguai, autorizou a abertura de valas coletivas para sepultamento de vítimas do coronavírus.

A intenção é habilitar 240 vagas para diminuir a demanda de enterros. Levantamentos do órgão responsável pelos cemitérios no Paraguai apontam uma média de dois a três sepultamentos diários em decorrência da Covid-19.

Segundo explicações do diretor municipal de Necrópolis, Gerardo Arévalo, ao ABC Color,  para abrir espaço, alguns cemitérios precisarão abrir valas comuns para sepultamento das vítimas, caso a situação na capital paraguaia fique ainda mais crítica.

Desde a semana passada o Paraguai enfrenta manifestações populares contra medidas sanitárias, que segundo a população são ineficazes. Além de Assunção, várias cidades estão sem vagas em leito de UTI (Unidade de Terapia Intensiva).

Jornal Midiamax