Mundo

Racismo: em 3ª noite de protestos, uma pessoa morre e outras 2 são baleadas em Wisconsin

Uma pessoa morreu e outras duas foram baleadas na cidade de Kenosha, em Wisconsin, na terceira noite de protestos pelo caso de violência policial contra Jacob Blake – homem negro baleado sete vezes por um policial branco na frente dos filhos no domingo, 23. Até a manhã desta quarta-feira, 26, a polícia ainda não havia […]

Agência Estado Publicado em 26/08/2020, às 08h12

(Foto: reprodução).
(Foto: reprodução). - (Foto: reprodução).

Uma pessoa morreu e outras duas foram baleadas na cidade de Kenosha, em Wisconsin, na terceira noite de protestos pelo caso de violência policial contra Jacob Blake – homem negro baleado sete vezes por um policial branco na frente dos filhos no domingo, 23. Até a manhã desta quarta-feira, 26, a polícia ainda não havia prendido nenhum suspeito dos disparos no protesto.

Manifestantes voltaram a desobedecer o toque de recolher imposto pelas autoridades e entraram em confronto com a polícia no centro da cidade, próximo ao prédio do tribunal local. Populares atiraram pedras, garrafas e fogos de artifício contra os policiais, que responderam utilizando gás lacrimogêneo e balas de borracha.

De acordo com a polícia, no entanto, o caso dos disparos com armas de fogo ocorreu na madrugada da quarta-feira, após parte da manifestação já ter sido dispersada.

Após os confrontos no centro, parte dos manifestantes se afastou alguns quarteirões, reunindo-se próximo a um posto de gasolina que estava sendo guardado por homens armados. Rapidamente o local se tornou um ponto de tensão.

A polícia tentou dispersas os populares que se reuniam próximo ao local, mas sem sucesso. Pouco depois da meia-noite, disparos aconteceram na área.

Em entrevista a imprensa local, o xerife David Beth confirmou a morte de um dos manifestantes, mas não explicou a sucessão dos fatos ou de onde partiram os tiros. Contudo, o policial confirmou que a investigação está focada no grupo de homens armados que guardava o posto de gasolina.

Imagens e vídeos que foram feitas estão sendo analisadas pela polícia para esclarecer a autoria dos disparos. (Com agências internacionais).

Jornal Midiamax