Presidente das Filipinas manda “atirar para matar” quem desrespeitar isolamento

Pronunciamento de Duterte vem na esteira de manifestações em áreas carentes do país, que reclamam da falta de comida

O presidente das Filipinas, Rodrigo Duterte, disse em pronunciamento em rede nacional, nessa quarta-feira, que não hesitaria em mandar as forças de segurança “atirarem para matar” aqueles que desrespeitarem as regras de isolamento no país, e “criarem caos” nas ruas durante a quarentena. As informações são do jornal filipino Malaya.

O pronunciamento de Duterte, que é conhecido por falas polêmicas, vem na esteira de uma manifestação na cidade de Quezon – a mais populosa do país -, na zona metropolitana da capital, Manila. Os manifestantes de uma região pobre da cidade reclamaram da falta de comida e assistência financeira do governo, além da demora em entregar mantimentos prometidos pelo mandatário. Ainda de acordo com o Malaya, 21 pessoas foram presas.

Como medida para agilizar o processo de entrega de alimentos e assistência financeira, Duterte resolveu centralizar a tarefa em secretarias do governo central, eximindo políticos regionais da responsabilidade.

“Eu eximi os políticos da responsabilidade porque há muitas reclamações. Retirei deles a responsabilidade de distribuir dinheiro e alimentos, como arroz. Dei tudo ao secretário de Bem-Estar Social e Desenvolvimento, Rolando Bautista. O dinheiro que é de vocês. Talvez eu não serei capaz de distribuí-lo de maneira desigual, mas o governo distribuirá e determinará o quanto de dinheiro será enviado a cada um”, afirmou.

 

 

 

 

Presidente das Filipinas manda "atirar para matar" quem desrespeitar isolamento
Mais notícias