Presidente da Argentina diz que será “duro” com quem demitir durante pandemia

Alberto Fernández ainda endureceu as medidas de isolamento e estendeu a quarentena no país em mais duas semanas

O presidente da Argentina, Alberto Fernández, prometeu sancionar empresas que aproveitarem a situação de quarentena, durante a crise causada pela pandemia de coronavírus, para demitirem seus funcionários.

Além de estender para mais duas semanas o período de isolamento no país, o presidente recentemente eleito disse, em discurso transmitido neste domingo (29) que será duro com as empresas que punirem seus empregados por não irem trabalhar.

“Vou ser duro e inflexível com os empresários que aproveitem esta situação de exceção que o país e o mundo inteiro estão vivendo para mandar empresários embora”, disse. “Assim como nosso governo também foi duro com aqueles que especularam e aumentaram preços de produtos que a população está precisando. Não podemos dar espaço para os que pensam em se aproveitar de uma crise como esta”, acrescentou.

Fernández ainda foi direto com os empresários, afirmando que “o que se trata aqui é de ganhar menos, não de perder dinheiro, porque vocês não vão perder dinheiro. Então, muchachos, chegou a hora de ganhar menos”.

Presidente da Argentina diz que será "duro" com quem demitir durante pandemia
Mais notícias