Norueguesa cria sabonetes com ‘cheiro’ de ex-namorados

A artista também já retirou o odor da primeira guerra mundial e fez um queijo com a chuteira de David Beckham

A norueguesa, Sissel Tolaas, é um artista que coleciona aromas. Após viajar o mundo e colher mais de 7 mil amostrar de odores, a artista criou sabonetes com o cheiro de seus ex-namorados

Não parando por aí, Sissel também recriou o cheiro da 1° Guerra Mundial e fez um queijo com o da chuteira do ex-jogador David Beckham.

A artista mantém um laboratório de pesquisa em Berlim, na Alemanha, tem formação em química, linguística e artes visuais, além de desenvolver projetos artísticos, científicos e comerciais, segundo a BBC, em publicação no portal G1.

“Cresci no hemisfério norte, na Noruega, onde os cheiros são bastante neutros. E sentia falta de alguma coisa. Então, decidi redescobrir o mundo tentando usar o nariz para esse fim. Já que eu não podia ir à Lua, decidi que iria pelo menos para a oriental”, contou Sissel em entrevista ao programa de rádio Outlook, da BBC.

Um de deus trabalhos é ‘capturar’ o cheiro de seus ex-namorados. Alguns aromas até viveram sabonetes. Para ela, essa é uma ótima maneira de relembrar alguém, “se essa é uma forma de não ficar mais sozinho, então, por que não?”.

O cheiro da guerra

Um dos trabalhos mais marcantes e desafiadores de Sissel foi recriar o cheiro da 1° Guerra Mundial, sem conhecer uma pessoa viva que tenha percorrido os campos de batalhas, ela precisou usar livros e relatos para basear seu projeto.

O resultado foi algo assustador, “literalmente, criei o cheiro mais repulsivo que consegui imaginar para representar o campo de batalha”, disse a artista.

O cheiro era uma forma de fazer as pessoas entenderem o verdadeiro horror da guerra. E parece ter surtido efeito. “O odor era tão repugnante que algumas pessoas chegaram a vomitar antes mesmo de abrirem a porta”, comentou.

O queijo com gosto e cheiro de jogador

Entre as inúmeras criações de Sissel, uma ganhou destaque, um queijo feito a partir das bactérias encontradas na chuteira do ex-jogador de futebol David Beckham.

O projeto fazia foi realizado em parceria com a Escola de Medicina da Universidade de Harvard, nos Estados Unidos.

E tinha como objetivo mostrar que bactéria não é só algo nocivo, e o queijo, no caso, era uma analogia ao corpo humano.

Norueguesa cria sabonetes com 'cheiro' de ex-namorados
Mais notícias