Interpol: Irã emite mandado de prisão contra Trump, por morte de general em Bagdá

Tensão entre os países está cada vez maior, depois de ataque com drone americano no Iraque

O Irã emitiu um mandado de prisão e pediu que a Interpol ajudasse a prender o presidente dos Estados Unidos, , e dezenas de autoridades americanos, a quem Teerã acusa de ter conduzido um ataque de drone que matou um general do alto escalão, em Bagdá. As informações são da rede de notícias Aljazeera.

O procurador do governo iraniano, Ali Alqasimehr, disse, nesta segunda-feira (29), que Trump e outras 30 autoridades estão por trás do ataque que matou Qassem Soleimani. Eles são acusados de “assassinato e terrorismo”, de acordo com a agência de notícias Isna. O procurador não esclareceu quem são os outros envolvidos, mas ressaltou que buscará a prisão de Trump, mesmo que seu mandado se encerre neste ano.

A interpol, sediada em Lyon, na França, ainda não comentou o assunto. Alqasimehr também pediu para que a polícia internacional marque Trump com um “alerta vermelho”. A notificação não pode forçar países a prenderem ou extraditarem suspeitos, mas pode limitar as viagens de certas autoridades.

É pouco provável que a Interpol atenda ao pedido do Irã, uma vez que suas diretrizes para alertas proíbem a adoção de “qualquer intervenção ou atividade de natureza política”.

O ataque conduzido pelos EUA, que matou o general Soleimani e outros, em janeiro, aconteceu perto do aeroporto internacional de Bagdá, no Iraque. O assassinato veio na esteira meses de tensão entre Irã e EUA e resultou numa retaliação por parte de Teerã, que atacou tropas americanas com um míssil balístico no Iraque. (Com agências internacionais)

 

Interpol: Irã emite mandado de prisão contra Trump, por morte de general em Bagdá
Mais notícias