G7 não chega a acordo sobre Covid-19 por insistência dos EUA em atribuir vírus aos chineses

Segundo o Washington Post, secretário de Estado americano referiu-se ao coronavírus como vírus de Wuhan, durante conferência

O grupo dos sete países mais industrializados do planeta (G7) não chegou a um acordo sobre uma declaração a respeito do coronavírus porque autoridades americanas insistiam em se referir ao Covid-19 como vírus de Wuhan. As informações são do jornal americano The Washington Post.

De acordo com a reportagem, embora os representantes tenham concordado em cooperar com o desenvolvimento de medicamentos e em ajudar os países em desenvolvimento no combate à contaminação do novo vírus, as autoridades não deram uma declaração oficial porque vários representantes dos , incluindo o secretário de Estado, Mike Pompeo, insistiram em atribuir o vírus à cidade de Wuhan, na , que registrou o primeiro surto da doença.

Ainda de acordo com o Washington Post, outros participantes da conferência rejeitaram o termo, classificando-o como desnecessariamente divisivo em um momento em que a cooperação internacional se faz necessária para desacelerar a pandemia.

Após a conferência, Pompeo reiterou suas críticas à , dizendo que “o item da agenda mais urgente de hoje foi o vírus de Wuhan”.

Os governos da e dos – as duas maiores economias do planeta – vêm trocando farpas em relação à origem da epidemia.

 

 

 

G7 não chega a acordo sobre Covid-19 por insistência dos EUA em atribuir vírus aos chineses
Mais notícias