EUA estima que 200 mil podem morrer de coronavírus e deve endurecer medidas

Assim como Bolsonaro, Trump minimizou o impacto letal do novo coronavírus, mas discurso já muda

Assessores do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, alertaram que, mesmo com duras medidas para conter o avanço da pandemia de coronavírus, a doença causada pelo Covid-19 pode matar cerca de 200 mil pessoas no país. As informações são do The New York Times (NYT).

Na última semana, Trump ainda sugeria que as quarentenas adotadas na maior economia do planeta poderiam ter fim antes mesmo da Páscoa. Assim como o presidente do Brasil, Jair Bolsonaro (sem partido) – que vem minimizando a seriedade da pandemia e sugerindo que os brasileiros voltem a trabalhar -, Trump tem sido criticado em seu país por demorar para tomar decisões para conter a contaminação.

Contudo, diante da explosão do número de mortes e de casos de infecção principalmente em Nova York, o republicano voltou atrás e a recomendação da Casa Branca agora é que os americanos continuem em suas casas e saiam apenas para necessidades básicas até o final de abril.

De acordo com atualização do NYT, os EUA têm hoje 141.995 casos confirmados de coronavírus e 2.300 pessoas já morreram da doença.

EUA estima que 200 mil podem morrer de coronavírus e deve endurecer medidas
Mais notícias