Em reabertura, União Europeia mantém veto a turistas brasileiros

País já havia sido barrado na primeira lista elaborada pelo Conselho Europeu

Cidadãos brasileiros continuam impedidos de viajar para países da União Europeia. É o que definiu o Conselho Europeu após atualizar a lista de países cujos cidadãos estão autorizados a fazer turismo nos países do bloco. O Brasil já havia sido barrado na primeira lista elaborada pelo conselho, divulgada em 1º de julho.

A liberação gradual de turistas estrangeiros é parte do processo de reabertura do bloco no pós-pandemia. Inicialmente, 15 países foram considerados seguros, no entanto, após a primeira revisão, Sérvia e Montenegro foram excluídos da lista, de modo que o número geral baixou para 13.

Estão liberados para viagens não essenciais para os países da União Europeia, residentes de Argélia, , Canadá, , Georgia, , Marrocos, Nova Zelândia, Ruanda, Tailândia, Tunísia, .

Além desses, a lista inclui a , mas como um caso especial, sendo vinculada a liberação a cidadãos chineses à reciprocidade de Pequim com europeus. Residentes em Andorra, Mônaco, San Marino e Vaticano estão sendo considerados residentes da União Europeia para fins de livre circulação.

De acordo com a autoridade europeia, o critério para liberação dos países leva em consideração a situação epidemiológica em cada um deles e as medidas de contenção adotadas, incluindo o isolamento social. Para entrar na lista, o Brasil precisa, por exemplo, apresentar um número proporcional de novos casos de covid-19 – por 100 mil habitantes – igual ou inferior à média europeia. A lista dos países será reavaliada de duas em duas semanas, de acordo com os europeus.

Em reabertura, União Europeia mantém veto a turistas brasileiros
Mais notícias