Em quarentena, paraguaios denunciam aglomeração em casa de repouso

Eles retornam para o país e devem permanecer no local por 14 dias

Cerda de 170 paraguaios que estão em quarentena depois de voltarem do Brasil denunciaram a superlotação na casa de repouso onde foram colocados na Ciudad del Este. Eles temem a disseminação em massa do coronavírus (Covid-19).

De acordo com o Abc Color, eles emitiram uma declaração para informar sobre a situação. No documento os paraguaios relatam que estão dispostos a cumprir o protocolo da quarentena estabelecido pelo governo do país, mas ressaltam que o alojamento onde estão não atende as condições adequadas para evitar a propagação da doença.

Segundo o documento, o prédio não tem ventilação adequada, são de 40 a 80 camas colocadas em salas comuns sem a distância mínima necessária, a sala de jantar não comportar o número de pessoas alojadas e que eles não tem acesso ao ar livre.

“No local, os idosos, as gestantes e as crianças ficam confinadas, expostas a uma situação maior de vulnerabilidade. Devemos lembrar que esta doença é assintomática, portanto, não podemos garantir que nossa saúde seja protegida.”, afirma o documento.

O grupo ainda lembra que se houver um infectado, a contaminação será total no local.

Ainda conforme o Abc Color, os paraguaios devem permanecer no local por 14 dias. Eles são supervisionados por oficiais da Décima Região Sanitária, que não atendeu às ligações da reportagem.

Em quarentena, paraguaios denunciam aglomeração em casa de repouso
Mais notícias