Mundo

Em crise, Avianca Holdings entra com pedido de recuperação judicial

Com as economias bastantes prejudicadas e agora com o impacto financeiro causado pela pandemia do novo coronavírus, a Avianca Holdings, segunda maior companhia aérea da América Latina, entrou com um pedido de recuperação judicial neste domingo (10). Anteriormente, a empresa já havia tentado reverter a sua situação fragilizada com a ajuda do governo da Colômbia, […]

Vinícius Costa Publicado em 10/05/2020, às 20h00

Reuter/Sergio Moraes/Direitos reservados
Reuter/Sergio Moraes/Direitos reservados - Reuter/Sergio Moraes/Direitos reservados

Com as economias bastantes prejudicadas e agora com o impacto financeiro causado pela pandemia do novo coronavírus, a Avianca Holdings, segunda maior companhia aérea da América Latina, entrou com um pedido de recuperação judicial neste domingo (10).

Anteriormente, a empresa já havia tentado reverter a sua situação fragilizada com a ajuda do governo da Colômbia, mas não teve sucesso. Um processo nos Estados Unidos corre e mostra que sua dívida está em US$ 1 bilhão e US$ 10 bilhões.

Para piorar sua situação, uma dívida da empresa vencia neste domingo com valor estimado em aproximadamente US$ 65 milhões. Na semana passada, a agência que classifica as companhias aéreas, rebaixou a Avianca para CCC-, que considera risco substancial de inadimplência.

A empresa não fornece voos regulares de passageiros desde o fim de março, quando a pandemia se instalou pelo mundo. Seus funcionários entraram em férias não renumeradas e em comunicado à imprensa neste domingo, a Avianca disse que continua discutindo com os governos a possibilidade de um apoio financeiro para driblar a crise.

“A Avianca está enfrentando a crise mais desafiadora em seus cem anos de história”, disse o presidente, Anko van der Werff durante um breve comunicado para a imprensa.

Jornal Midiamax