Venezuelanos com antecedentes criminais serão expulsos do Peru, diz Carlos Moran

O Peru expulsará todos os cidadãos venezuelanos com antecedentes criminais que entraram no território peruano falsificando informações migratórias, disse hoje o ministro do Interior do país, Carlos Moran. “Identificamos, até agora, uma quantidade importante de venezuelanos que falsificaram seus documentos de controle migratório.

Estas pessoas serão expulsas”, disse o ministro à imprensa peruana. A medida coincide com relatos crescentes de roubos e assaltos em Lima por parte cidadãos da Venezuela, que, por sua vez, foram submetidos a reações xenófobas.

Moran reconheceu que com a chegada de venezuelanos ao país, os índices de criminalidade aumentaram, sobretudo no distrito de San Juan de Lurigancho, um dos mais populosos de Lima, capital do Peru. “Em seis regiões do país, onde há incidência de venezuelanos, esse problema da violência aumentou, especialmente em San Juan de Lurigancho”, disse.

A percepção em Lima, onde vivem cerca de 10 milhões de pessoas, é que existe uma relação entre o aumento do crime e a presença maciça de venezuelanos, de acordo com uma pesquisa da Ipsos, publicada segunda-feira pelo jornal El Comercio.

Na última segunda-feira, 50 venezuelanos com antecedentes criminais foram repatriados em um avião da Força Aérea do Peru, sob a custódia da polícia peruana e em coordenação com as autoridades de Caracas. A principal organização no Peru admitiu que os criminosos chegaram entre os migrantes. “É indiscutível”, disse o venezuelano Óscar Pérez, que dirige a ONG União Venezuelana no Peru, em referência à presença de criminosos.

Mais notícias