Primeiro corredor elétrico da América Latina tem 83 ônibus chineses

O presidente do Chile, Sebastián Piñera, apresentou, na última terça-feira (15), 183 novos ônibus elétricos da marca chinesa BYD, que farão parte do recém inaugurado “Corredor Elétrico Grecia” em Santiago, o primeiro do tipo na América Latina. As informações são do Portal Xinhua.

Na apresentação dos veículos, no eletroterminal Los Espinos, em Peñalolén, leste da capital, também marcaram presença os ministros de Transportes e Telecomunicações, Gloria Hutt; da Energia, Juan Carlos Jobet; do Meio Ambiente, Carolina Schmidt; e de Ciências, Andrés Couve.

“O transporte público é parte essencial de nossa qualidade de vida. Um bom sistema de transporte público, mais seguro, mais cômodo, mais silencioso, mais rápido, melhora a qualidade de vida”, afirmou Piñera.

“Estamos dando este grande salto para frente e para o futuro”, apontou. Ele ainda destacou que, “depois das cidades chinesas, Santiago é a cidade com mais ônibus elétricos do mundo”.

Gloria Hutt disse à Xinhua que, no desenvolvimento da eletromobilidade no Chile, a China foi chave, porque o país é “pioneiro no desenvolvimento das tecnologias de eletromobilidade em ônibus e para o transporte público”.

“Assim, tomando a experiência da China, nós adotamos os mesmos tipos de solução e foram muito bem-sucedidos”, indicou.

A ministra anunciou que o país está trabalhando para levar ônibus elétricos a cidades fora da capital, onde os coletivos chineses competem em condições “muito favoráveis” para chegarem a estas localidades, por “serem muito eficientes e de muito boa qualidade”.

No evento foram apresentados e iniciaram as operações os 183 ônibus elétricos da BYD, que contam com conexão sem fio à internet (wifi), portas USB e ar condicionado.

Os veículos têm 12 metros de comprimento e autonomia de 250 quilômetros. Eles chegarão ao recém inaugurado “Eletroterminal Los Espinos”, que conta com painéis fotovoltaicos que abastecerão 138 ônibus elétricos, com um tempo de carga de 3 horas.

Estes ônibus se somarão aos 203 que começaram a operar entre dezembro e março passado, o que dá um total de 386 ônibus elétricos chineses e uma frota de quase mil veículos de baixa emissão, que consolidam Santiago como a cidade com mais ônibus elétricos do mundo fora da China.

Hutt informou à Xinhua que o governo chinês doou 20 ônibus elétricos para serem utilizados durante a Conferência das Nações Unidas sobre a Mudança Climática (COP25), que será realizada de 2 a 13 de dezembro em Santiago.

Por sua parte, a representante da BYD no Chile, Tamara Berríos, que também esteve na apresentação, afirmou à Xinhua que a companhia proporcionou há um ano “uma mudança importante no mercado do transporte público no Chile, ao incluir e ao ingressar as primeiras unidades de ônibus elétricos ao país”.

Ela destacou que a BYD leva mais de seis anos no Chile e teve êxito neste país, porque foram proporcionadas “condições tanto econômicas como de negócios, como com o Tratado de Livre Comércio” que o país tem com a China.

“(Isto) faz com que nós possamos ter um preço mais competitivo, nossos produtos são chineses, fabricados 100% na China”, sublinhou.

“Nós demoramos seis meses desde que é submetida uma ordem de compra até chegarmos com a frota aqui”, destacou sobre a rapidez de entrega dos ônibus, que chegaram pelo porto de Santo Antonio, o mais importante do país, a uma hora da capital.

Os novos ônibus beneficiarão 660 mil pessoas de nove bairros de Santiago. Segundo os dados do governo chileno, a eletromobilidade no transporte público demonstrou vantagens, como o custo de operação de 77 pesos chilenos (US$ 0,11) por quilômetro em relação aos mais de 300 pesos chilenos (US$ 0,42) por quilômetro que registra um ônibus a diesel convencional.

Isto significa que os custos de operação são reduzidos em 76% com os ônibus elétricos.

Mais notícias