Na tentativa de conter protestos, governo do Chile decreta situação de emergência

Protestos iniciaram pelo aumento no preço do metrô

O Governo do Chile decretou estado de emergência em Santiago nesta sexta-feira (19), na tentativa de conter os protestos, iniciados contra o aumento no preço do metrô. Os protestos levaram a capital do país ao caos.

O decreto dá a um militar apontado pelo presidente Sebastián Piñera a responsabilidade pela segurança na cidade e prevê restrições às liberdades de movimento e reunião durante 15 dias, segundo informações do jornal Deutsche Welle.

Os protestos contra o aumento do preço do bilhete do metrô levaram a capital do país ao caos, com incêndios em várias estações de medro, ônibus urbanos, barricadas na rua e até na sede da companhia elétrica.

A radicalização dos protestos contra o aumento do preço do bilhete do metrô de Santiago gerouum dia de caos, com incêndios em vários pontos da cidade, saques e destruição.

“Diante dos ataques sérios e repetidos e contra as estações e instalações do metrô de Santiago, contra a ordem pública e a segurança pública, declarei estado de emergência nas províncias de Santiago e Chacabuco, e nos municípios de Puente Alto e San Bernardo, na região metropolitana”, afirmou o presidente chileno.

(com informações do DW)

Mais notícias