México denuncia cerco à embaixada na Bolívia

No local estão refugiados ex-integrantes do gabinete do governo do ex-presidente Evo Morales

O México denunciou nessa quarta-feira (25) a crescente presença de forças de segurança bolivianas próximo à embaixada em La Paz, onde ex-integrantes do gabinete do governo do ex-presidente Evo Morales procuraram refúgio.

O Ministério das Relações Exteriores do México disse que um número maior de militares cerca a residência desde terça-feira. O subsecretário do México para a América Latina, Maximiliano Reyes, descreveu as patrulhas bolivianas em torno da sede diplomática como um “cerco”.

Numa nota diplomática de queixa endereçada ao Ministério das Relações Exteriores da Bolívia, o México disse que existem drones a sobrevoar a residência do embaixador, descrevendo a situação como uma “intromissão indevida”.

Em comunicado divulgado quase ao mesmo tempo, o ministério disse ter convocado o embaixador da Bolívia para “explicar as ações das autoridades bolivianas”.

As relações entre os dois países estão tensas desde que o México concedeu asilo a Morales, que renunciou em 10 de novembro, em meio a uma revolta nacional depois de ter reivindicado vitória em eleição supostamente fraudulenta.

Morales, desde então, exilou-se na Argentina e diz que pretende permanecer envolvido na política na vizinha Bolívia, enquanto alguns membros do seu gabinete permanecem escondidos na residência do embaixador mexicano. Eles são considerados fugitivos pelas autoridades bolivianas.

Mais notícias