Carlos Mesa questiona TSE boliviano após resultado preliminar das eleições presidenciais

O presidente Ivo Morales poderá enfrentar o segundo turno pela primeira vez

Mesmo com grandes chances de chegar ao segundo turno, Carlos Mesa questiona a apuração do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) boliviano. Pela primeira vez o presidente Ivo Morales deverá enfrentar um segundo turno nas eleições da Bolívia, de acordo com os resultados preliminares das votações.

Foram divulgados, pelo TSE boliviano, na noite de domingo (20) os resultados parciais das votações. Já tinham sido contabilizados 83,76% das urnas, que davam 45,25% para Morales, contra 38,16% de Mesa.

A proximidade de votos garante uma grande possibilidade de segundo turno, já que nenhuma das possibilidades de vitória em primeiro turno foi alcançada. Na Bolívia um candidato deve superar 50% dos votos ou obter 40% da votação com 10% de diferença para o segundo colocado para ganhar.

Antes dos resultados serem divulgados o ex presidente da Bolívia, Carlos Mesa, já tinha se posicionado nas redes sociais. Ele compartilhou suas dúvidas em relação a uma possível manipulação de votos, acusando o TSE. “Não vamos aceitar que se burle o voto que nos leva ao segundo turno”, afirmou.

Transmissão falha

Os dados ainda são parciais pois durante a transmissão, a contagem dos votos foi interrompida. A OEA ( Organização dos Estados Americanos) pediu uma justificativa para o TSE, que deverá explicar o porque houve esta falha.

No Twitter, Mesa se pronunciou sobre a interrupção da contagem. “O TSE mais uma vez descumpre seus compromissos. Suspendeu a informação no TREP. Exigimos o reinício da contagem! O que está acontecendo é muito grave. O segundo turno, que todos os dados independentes confirmam, não pode ser questionado, e muito menos burlado”, disse.

O ex presidente aproveitou o momento para pedir aos apoiadores que realizem fiscalizações em todo país, para que possam exigir os resultados definitivos. Em resposta a presidente do TSE boliviano, María Eugenia Choque, afirmou que os dados divulgados não passavam de preliminares e que a apuração oficial ainda iria ser feita.

 

Mais notícias