BCE mantém juros e diz que taxas ficarão inalteradas até o 1º semestre de 2020

O Banco Central Europeu (BCE) manteve suas principais taxas de juros inalteradas após concluir reunião de política monetária nesta quinta-feira, como era amplamente esperado por analistas, o BCE deixou sua taxa básica de juros – a de refinanciamento – em 0% e a de depósitos, em -0,40%.

A autoridade monetária da zona do euro, porém, revisou sua projeção para a manutenção das taxas nos níveis atuais, do fim de 2019 para “até pelo menos o fim do primeiro semestre de 2020”, para garantir que a inflação convirja para sua meta, que é de uma taxa ligeiramente inferior a 2%, no médio prazo.

O BCE também reafirmou hoje que irá reinvestir integralmente os recursos obtidos com o plano de relaxamento quantitativo (QE, pela sigla em inglês) por um “período prolongado” após sua primeira elevação de juros.

O QE, pelo qual o BCE comprava mensalmente bilhões de euros em bônus de governos e outros ativos, foi encerrado em dezembro do ano passado.

Em relação à terceira rodada de empréstimos baratos destinados ao setor bancário da zona do euro (conhecidos como TLTROs, pela sigla em inglês), o BCE informou que a taxa de juro de cada operação será estabelecida num nível situado 10 pontos base acima da média da taxa de juro aplicável às operações principais de refinanciamento do Eurosistema ao longo do período de duração da TLTRO correspondente.

Já para bancos cuja concessão de crédito ultrapassar um determinado valor de referência, a taxa aplicada às TLTROs “será inferior e poderá ser tão baixa quanto a média da taxa de depósito que prevalecer ao longo do período de duração da operação, acrescida de 10 pontos base”, explicou o BCE.

O presidente do BCE, Mario Draghi, fala sobre a decisão de hoje em coletiva de imprensa a partir das 9h30 (de Brasília).

Mais notícias