Notícias de Mato Grosso do Sul e Campo Grande

Cuba convoca eleições para março; Raúl Castro pode deixar presidência

O conselho informou que no mesmo dia acontecerão eleições nas províncias

O Conselho de Estado de Cuba anunciou neste sábado (6) a convocação de eleições gerais para 11 de março, quando serão votados os deputados da nova Assembleia Nacional (parlamento unicameral) encarregados de escolher em abril os principais componentes do próximo governo e o sucessor de Raúl Castro na presidência do país.

Em nota oficial publicada no jornal Granma, o conselho informou que no mesmo dia acontecerão eleições nas províncias, nas quais serão escolhidos os delegados das Assembleias Provinciais do Poder Popular (parlamentos regionais).

Conforme o texto, no dia 21 deste mês será realizada a reunião extraordinária nas Assembleias Municipais do Poder Popular (órgão semelhante à prefeitura) para que sejam nomeados entre vereadores os candidatos a delegados provinciais e a deputado federal.

Até 14 de janeiro, os 12.515 vereadores eleitos em 26 de novembro serão consultados sobre as propostas de “pré-candidatos” a delegados provinciais e deputados para os seus territórios, com algumas listas que foram elaboradas pelas comissões de candidaturas.

Nas listas são propostos 12.640 possíveis candidatos que foram, por sua vez, selecionados em reuniões das organizações de massas do país, todas pró-governo.

A Lei Eleitoral de Cuba estabelece que 50% dos deputados nacionais podem ser eleitos entre os delegados municipais e provinciais, enquanto que os demais são propostos por organizações sociais.

Conselho de Estado

A previsão era de que a nova legislatura começasse em 24 de fevereiro, mas, em dezembro, o Parlamento aprovou – após a proposta do Conselho de Estado – a extensão por dois meses do atual mandato por causa dos atrasos no calendário eleitoral causados pela passagem do furacão Irma em setembro, que provocou perdas por mais de US$ 13 bilhões.

O novo Parlamento será formado em 19 de abril e será o encarregado de propor e votar os principais membros do governo do país, entre eles, presidente e vice-presidente. O encontro gera grande expectativa porque – pela primeira vez em seis décadas – o governante da ilha não levará o sobrenome Castro.

“Quando a Assembleia Nacional for constituída terei concluído o meu segundo e último mandato à frente do Estado e do governo, e Cuba terá um novo presidente”, afirmou o próprio Raúl Castro na Assembleia Nacional em 21 de dezembro.

Você pode gostar também