Autor de ataque terrorista em Nova York é condenado a prisão perpétua

Em julgamento, réu falou sobre preconceito contra muçulmanos

O autor do ataque terrorista ocorrido em setembro de 2016 em Nova York, que deixou 31 feridos, foi sentenciado à prisão perpétua nos Estados Unidos nesta terça-feira (13). Ele já havia sido condenado em júri popular por oito delitos.

Ahmad Rahimi provocou o atentado colocando duas bombas artesanais em um bairro movimentado de Manhattan. Uma delas não explodiu, mas a outra, escondida em uma lixeira, causou pânico e feriu os transeuntes.

Foi o primeiro atentado em Nova York desde 11 de setembro de 2001. Rahimi foi preso dois dias depois, apreendido com um diário em que elogiava Osama Bin Laden e o recrutador da Al-Qaeda, Anwar a Awlaki.

Em sua defesa no julgamento, Rahimi falou do tratamento diferenciado que sentiu nos Estados Unidos por causa de suas vestes muçulmanas. “Nunca havia sido discriminado por minha religião, até que comecei a praticá-la”, disse.

O depoimento emocionado do réu não convenceu o juiz. “Não há nenhuma comparação entre as recriminações que você possa ter sofrido e os atos que cometeu”, afirmou, aplicando a prisão perpétua.

O advogado de Rahimi pediu a diminuição da sentença para 15 anos, sem sucesso. Nos últimos cinco meses, outros dois atentados cometidos por imigrantes foram registrados em Nova York.

Mais notícias